sábado, 16 de março de 2013

DESIGUALDADE SOCIAL


 

Tarde de chuva, no sinal parei.Assistia uma cena do cotidiano
Inconformado e muito triste fiquei
Com uma garotinha chamada Ana.

Trazia uma placa no peito
Vítima do desnível social
Faltava-lhe moradia e outros direitos
Numa sociedade desigual.

 A cicatriz de uma vida frustrante
Passou por tempestades um sentimento e ferido
Nuvens de poeira horripilantes,
Pobre Ana... Recebeu como um castigo.

                                          

sexta-feira, 15 de março de 2013

JUSTIÇA



                                
                         Hoje refletem marcas tristes e fortes.
É entre os homens, o desentendimento.
Ódios, e ciúmes terminam em mortes.
Tantas perdas de vidas, um lamento.

Se o amor é o primeiro mandamento
Para muitos Jamais prevalece.
Matam inocentes vira um tormento
Vivem em sociedade, e nada acontece.

Vestir roupa branca, não é mudança.
Nem proteção para os culpados,
O amor não faz guerra, nem ignorância.
Que a Justiça faça, um trabalho mais árduo!